terça-feira, 25 de maio de 2010

Os Não Alinhados.

É este o nome da nova aventura pela blogosfera a que me proponho. Uma aventura colectiva, pensada e construída com amigos de longa data. A formação comum na área da Ciência Política e das Relações Internacionais serve de leitmotiv para o blogue mas não só: o Não Alinhados não se cingirá exclusivamente a esse domínio do saber, antes versará sobre os interesses pessoais de cada um dos seus escribas, incluindo as áreas do Marketing, da Economia e da Gestão.
A palavra de ordem do blogue é liberdade, pois acreditamos que só assim faz sentido. Procuraremos ser oportunos nos comentários, nas análises, na expressão de opiniões sobre o que vai acontecendo em Portugal e no Mundo, para o bem e para o mal - e, porque não, na partilha de algumas experiências pessoais que julguemos de interesse para quem nos visite.
Quanto ao meu querido Escrito na Pedra, já andava sonolento e vai agora entrar em hibernação. Convido todos os leitores deste blogue a visitarem o novo sítio deste escriba na Internet, um sítio que se espera mais dinâmico e funcional, em prol da boa discussão de ideias, mais motivante tanto para leitores como para quem escreve.
Vemo-nos aqui. Até já.

1 comentário:

Cultura disse...

POR UMA CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA DOS CIDADÃOS

Senhor Presidente da Câmara Municipal de Guimarães
Senhor Presidente do Conselho Geral da Fundação Cidade de Guimarães

No dia 29 de Março de 2011, o Conselho Geral da Fundação Cidade de Guimarães tornou pública uma moção em que notou ser “indispensável criar condições para relançar a confiança e o entusiasmo em torno do projecto, de forma a garantir a adesão e apoio da comunidade vimaranense à Capital Europeia da Cultura 2012” e recomendou “ao Conselho de Administração que promova uma reflexão estratégica com vista a adoptar práticas que permitam uma ligação reforçada entre a CEC2012 e os agentes culturais, económicos e sociais de Guimarães e da região”.

Esta tomada de posição foi entendida pelos cidadãos signatários como um claro sinal de esperança de que ainda seria possível uma Capital Europeia da Cultura que envolva os cidadãos de Guimarães e promova uma imagem positiva da cidade.

No entanto, assim não o entendeu o principal destinatário da recomendação, o Conselho de Administração da FCG. Nos dois meses que entretanto decorreram, aprofundou-se o afastamento entre a entidade organizadora da CEC e os cidadãos e agentes culturais, económicos e sociais de Guimarães.

Com o recente afastamento do Director de Projecto, a estrutura da FCG ficou amputada do único elemento que funcionava como elo de ligação entre as diferentes áreas de programação. As sucessivas declarações, por parte do CA, de que a saída do Director do Projecto não acarreta um acréscimo de dificuldades, põem a claro um manifesto défice de percepção da realidade.

Os cidadãos de Guimarães já deram mostras de que, quando mobilizados, são capazes de dar respostas positivas e entusiásticas a situações adversas. A mobilização ainda é possível. Não será fácil recuperar o tempo perdido, mas ainda se irá a tempo de construir uma Capital Europeia da Cultura que dignifique Guimarães e Portugal.

Os signatários não se resignam a vir a ser os que tiveram nas mãos uma oportunidade única e a desperdiçaram. Convictos de que o divórcio entre o actual Conselho de Administração da FCG e os cidadãos de Guimarães é irreversível e nocivo para o sucesso da Capital Europeia da Cultura, apelam ao Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e ao Presidente do Conselho Geral da FCG para que usem os meios ao seu alcance para que se encontre uma solução que infunda uma nova esperança neste projecto, dotando-o de novos protagonistas, que se identifiquem com Guimarães e que introduzam uma dinâmica no processo que possa suscitar o reforço do entusiasmo, da vitalidade e da energia dos vimaranenses.
Se concorda com este apelo público, assine o abaixo assinado POR UMA CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA DOS CIDADÃOS em www.peticaopublica.com